mais uma vez, leminski
06/08/2013 19:56 em Book Review

 

 

depois de quilos de papel terem sido utilizados para acolher loas ao poeta curitibano paulo leminksi, sinto-me à vontade para também discorrer algumas palavras sobre o “samurai-malandro”.

começo com meu primeiro encanto, q ocorreu  em 1985, ano em q tive em mãos a 3ª edição de caprichos & relaxos, publicado originalmente em 1983 pela saudosa brasiliense – embora já tivesse o verborrágico catatau, editado pela sulina em 1975 (minha edição é de 1989), com o qual atravessei alguns anos para decifrá-lo, se é q atingi este ponto.

com a publicação da coletânea toda poesia (companhia das letras,  2013), seus leitores – e novos leitores – têm novamente acesso a uma das mais férteis produções da poesia contemporânea brasileira, do paranaense q se considerava, entre outros títulos, um “punk parnasiano”.

uma vez mais, os céticos de plantão deram com os burros n’água: já foram três reimpressões e aproxima-se da marca dos livros mais vendidos no país de oswald de andrade e haroldo de campos – mais de 15 mil exemplares vendidos num país q, dizem, não lê poesia!

vale lembrar q caprichos & relaxos já constava entre os livros mais vendidos na época de seu lançamento (hoje, fora do mercado, pode ser (re) lido nesta coletânea); aliás, organizada por alice ruiz, ex-esposa de leminski, fica clara a diferença entre amontoar poemas e organizar a obra de um autor.

desde o artesanal quarenta clics em Curitiba, com fotos de jack pires (“domingo / canto dos passarinhos / doce que dá para pôr no café”) até o seminal winterverno, de 2001, com desenhos de João Suplicy (“em cima / da hora / tudo / piora”), o q temos é um alentado testamento/testemunho do poeta, o ‘bandido q sabia latim’ e q morreu em 89.

 



[1]
jornalista, professor e autor de leminski: o “samurai-malandro” (educs, 2009).

 

 

 

 

Dinarte Albuquerque Filho

Jornalista, poeta e professor

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!