UM HOMEM CHAMADO HOMEM
10/01/2020 16:41 em Crônicas

 

 

 

 

Era uma vez um homem chamado homem e uma mulher chamada mulher. Todos os dias, o homem chamado homem quebrava pedras, desde as primeiras horas da manhã até as primeiras da noite. O quebrar pedras era chamado trabalho. Todas as noites, com exceção de cinco por mês, a mulher chamada mulher, deitada em um catre tosco chamado cama, se oferecia ao homem chamado homem. O homem chamado homem a aceitava naquilo que chamavam amor. O homem chamado homem e a mulher chamada mulher roçavam um no outro os corpos rudes… O que comiam na tábua chamada mesa chamavam nada. O que se seguia no amontoado de horas, que chamavam dia, chamavam vida… Em frente ao rancho que chamavam lar, tinha, na terra seca que chamavam restinga, uma única planta a cada dia mais murcha… Como era mesmo o nome da planta?

 

 

 

 

 

Cláudio B. Carlos  é poeta da nulidade, filósofo do nada, patafísico e editor da #editoracoralina. Nasceu em 22 de janeiro de 1971, em São Sepé, RS. Tem diversos livros publicados.

 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!