O Bem Vem
13/12/2019 09:59 em Poema

Estou sendo domesticado

De novo

Estou tão cansado

Que dessa vez vou ceder

Vou deixar

Me dar de boneco

A maioria morre sem amor

Se perguntar se sou feliz

Eu nego

Mas é o horror de não ser

Merecedor

Posso ouvir minhas risadas

Das vidas passadas

Por mim

Não mais ataques astrais

Eu apanhei

Já não apanho mais

E tenho tanto com me preocupar:

O governo, as milícias, os policiais

O cigarro, a cachaça, a comida

O crime, o cão e a caça, a graça

A descerebração em massa.

 

 

MAS O BEM VEM!

 

 

 

 

 

 Everton Luiz Cidade

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!