Suave Monstruosidade
30/07/2019 08:21 em Poema

De dados

Morrer como o mestre morreu

Morrer como o mestre mandou morrer

Por delicadeza

E amor à preza

O deleite da gente morta

Lambuzo de luxuriante azeite

Nadadeiras

Estilete

De sagrar

Pão passado

O passo do pavão é o mesmo do zorrilho

Menos impetuoso

Sou mais caridoso

Com os domingos diurnos.

 

 

Everton Luiz Cidade - Compositor, escritor e poeta, Socio-proprietário na Pulperia Roupas, livros música e arte - São João  1140 -São Leopoldo

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!